Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

jornaldodiaadia

jornaldodiaadia

Robin Williams deixou bilhetes que anunciavam sua morte,

1432737665_875595_1432738138_noticia_normal

O suicídio de Robin Williams continua presente entre familiares e fãs com a proximidade do primeiro aniversário da morte do ator. Robin Williams suicidou-se em agosto do ano passado e, com a chegada desse triste aniversário, os veículos de comunicação dos Estados Unidos publicaram os bilhetes que o protagonista de Sociedade dos Poetas Mortos foi deixando por sua casa à vista de todos anunciando as suas intenções de suicidar-se. “É hora de ir embora” e “acabei com tudo” são algumas das mensagens que espalhou estrategicamente pela sua residência por forma a que sua esposa e filhos os encontrassem.

Conhecido pela comédia e sempre com um sorriso no rosto em público, Williams sofria de forte depressão desde que foi diagnosticado com Parkinson, doença que, segundo comentários de pessoas que o conheciam, o levou ao suicídio aos 63 anos. Segundo os relatórios da polícia, antes de morrer estrangulado com o seu próprio cinto, o protagonista de Aladdin e Bom Dia Vietname pesquisou na Internet outros meios de pôr fim a sua vida, como por exemplo utilizar ansiolíticos. O ator tentou até mesmo cortar as veias dos pulsos, mas arrependeu-se da tentativa e limpou todo o sangue que havia.

Vítima de alcoolismo durante a vida, a sua autópsia não mostrou no sangue nenhum vestígio de drogas ou outras substâncias das quais abusou, ainda que tenham encontrado no seu cérebro amostras de uma possível forma de demência, fator principal que o levou a tirar a vida em 21 de agosto. O relatório policial também indicou que o ator sofria de uma pronunciada paranoia desde seu diagnóstico de Parkinson que o levou a matar-se. Reconstruindo as últimas horas, as mesmas publicações indicam que Williams, ávido colecionador de tudo, de arte a brinquedos, entregou a um amigo a sua coleção de relógios, um objeto pessoal que, da mesma forma que seus óculos, gostava de trocar sempre que saía. Pai de três filhos e casado três vezes, a ansiedade de Williams foi tamanha que, após o seu diagnóstico, nos dias anteriores à sua morte dormiu sozinho, trancado no seu quarto.

Apesar da felicidade que trouxe àqueles que o conheceram pessoalmente e aos que assistiram às suas comédias, Williams foi um homem torturado. O intérprete de Uma Ama Quase Perfeita sempre tentou esconder uma infância infeliz. Williams foi uma criança criada na opulência, mas com um pai ausente, um grande executivo da empresa Ford, e uma mãe ex-modelo a quem em mais de uma ocasião descreveu como viciada na moda. Ela foi, entretanto, sem pretender, uma das influências mais importantes da sua carreira já que o ator precoce tentava fazê-la rir como forma de chamar sua atenção, segundo declarações de Williams numa entrevista no programa Inside the Actors Studio.