Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

jornaldodiaadia

jornaldodiaadia

Crime de honra na "Operação Triunfo" da Turquia,

[embed]https://youtu.be/Setq9Lc3WlY[/embed]

Mtulu Kaya, 19 anos, foi baleada na cabeça na segunda-feira. Ela permanece em estado crítico num hospital de Diyarbakir,

A jovem Mutlu Kaya esteve ao ponto de morrer, porque queria ter sucesso na música. Um indivíduo baleou-a na cabeça esta segunda-feira, depois de a família a ter ameaçado por querer participar num "show de talentos" da TV.

Segundo o jornal "Hürriyet", Kaya, 19 anos, permanece em estado crítico no hospital de Diyarbakir, a maior cidade curda na Turquia. Apesar da sua situação, os médicos não temem pela sua vida, apresentando já uma evolução positiva do seu estado clínico.

Kaya Mutlu foi aprovada na pré-seleção para participar no programa 'Sesin çok güzel', o programa de talento musical do canal Fox.

No palco, a adolescente cantou a canção de 'Heveslik Eyledim' da folkorista local Musa Eroglu. Foi de tal forma emocionante que a sua mãe e irmão choraram abraçados e extremamente emocionados.  Nesse programa surpreendeu a ausência do pai.

A 17 de abril, o jornal local “Posta” relatou que a adolescente tinha começado a receber ameaças de morte por parte do clã de seu pai.

"Quando eles souberam que eu iria participar no concurso, eles disseram que me iriam matar. Estou com medo", disse Mutlu Kaya de acordo com o jornal, tendo como fonte a equipa de produção do programa.

A promessa da música tinha o "sim" de Sibel Can, uma famosa cantora e membro do Sesin çok güzel, que viajou expressamente para Diyarbakir em Março, para a convencer a colocar-se sob a sua tutela musical.

Sibel Can tinha prometido a ela e à sua mãe um futuro promissor. "Sua filha está agora comigo. Ela tem um grande talento. A primeira vez que a ouvi cantar Eu disse 'é isto!', Disse a diva turca.

Os crimes de honra na Turquia continuam a ser um flagelo.

A Plataforma Parar Femicídio estimou que, em 2014, 294 mulheres foram mortas. Das quais 47% morreram por tomarem decisões de forma independente.